No Exit?

(the suffering, by posed to death, deviantart.com)


Eis o regresso às origens do blog. A banda sonora da minha libertação criativa. A inspiração tem faltado, bem como a vontade de a procurar nos confins da minha mente insuportável/insustentavelmente cansada das sucessivas batalhas que trava consigo própria diariamente.
O poema de José Régio ecoa no meu cérebro de uma forma inexplicável... As vezes dou por mim a pensar nele e um sorriso irónico acaba por escapar inevitavelmente. A genialidade do poeta é por demais evidente, naquele que é um retrato oportuno de muitas mentalidades. A falta de coragem da maioria daqueles que com ele se identificam, é a causa da maior parte dos seus problemas... É fácil dizer "não sei por onde vou, não sei para onde vou, sei que não vou por aí". O pior é quando não existe a coragem ou a vontade suficiente para fugir à marcação apertada dos "aprisionadores de vidas". Para não ir por ali. Para desenhar os próprios pés na areia inexplorada ao invés de permitir que esses mesmos pés sejam constantemente pisados, propositadamente, pelos tais "superiores"... E a própria dignidade é muitas vezes posta de parte, para que a vida, mesmo sendo má, possa continuar.
Acho que a coragem está a chegar, e começo a pensar: there is an exit for me...

1 comentário:

SyL disse...

Que a tua coragem seja um olhar fixo nos olhos dos tiranos e um sorriso irónico pelas vitórias que acumulas sobre eles, e nunca - JAMAIS! - uma veia traçada como saída, quando aberta.