Soul Reaver

(Imagem: Link)


Pensava ser capaz de apaziguar até o mais sobressaltado dos espíritos, mas percebia-se nas entrelinhas, que os seus pseudo-poderes já o haviam abandonado algures no tempo, sem que disso se apercebesse até ser tarde demais.

Em boa verdade, seria sempre tarde demais, a partir do momento em que da sua acção calmante já não pudessem beber os que dela mais precisassem, e no caso concreto, aquela que de todas sobressaiu como um pedaço de diamante à deriva num mar de lodo em dia de Verão, Verão quente como a alma inquieta do tal diamante em bruto que temia ser lapidado pelas mãos do ultimo dos artesãos, do último crente em terra de cépticos... Era dele que queria fugir a qualquer custo, por mais que a sua vontade fosse exactamente o contrário, por mais que...

Bateu com a cabeça na parede mais de cem vezes, esperançoso que da dor física resultasse uma ideia brilhante capaz de o conduzir à solução do puzzle mais complexo que alguma vez se propora montar. Mas nada, a resposta era o vazio, e a vontade de gritar enlouquecia-o por já não ter boca ou língua capazes de reproduzir o volume correcto do som da maior frustração da história da sua (in)existência.

Por hora ainda medita, o incauto lutador que se recusa a matar sonhos - ele não tem culpa, já devias saber que assim nasceu e assim partirá, por mais que te esforces não conseguirás convencê-lo de que os (teus) raios de sol não são capazes de o aquecer, pois é precisamente desse calor que ele tem vivido nas últimas semanas.

Serás mesmo capaz de lhe apagar a luz, sabendo que à noite ele morre sozinho, na falta de quem lhe agarre a mão e o deixe sonhar?

...but what can I say now?
it couldn't be more wrong
cos there's no one there
unmistakably lost and without a care
did we lose all the love that we could have shared
and its wearing me down
and its turning me round
and I can't find a way
now to find it out
where are you when I need you...
are you there?...