Someone That Cannot... Love?

(Imagem: Link)


Pudesse eu deixar de escrever sobre o que nunca tive, e escrever-te-ia a ti, impressa a carvão em todo o esplendor das tuas cores, a ti.

És o esboço de tantos sonhos diferentes, que quase te perdes nas densas brumas de um imaginário tão fértil que assustador, em toda a extensão da demência do seu criador.

Fosses um livro, e não caberiam nas tuas páginas, palavras suficientes para descrever o quão admirável me parece o mundo, sempre que da simplicidade dos teus disparatados relatos existenciais subtraio a complexidade de uma alma perdida, temerosa quiçá, consciente das limitações inerentes à mágoa que nunca foi superada, ou ao vazio jamais preenchido que teimosamente procuras esconder, como se fosse possível... E logo de mim?

Soaram mais de mil vezes, os sinos da decadência que teimosamente chamaram por mim, como se eu fosse, algum dia... Como se fosse possível arrancar dos meus pés, as toneladas de esperança que jamais me conseguiram roubar, e que me mantiveram preso ao chão mesmo quando as piores tempestades atingiram os alicerces da minha existência...

E o único desejo que me resta, é o de ser capaz de te impedir de cair no vazio de uma esperança inatingível, para que de uma vez por todas, acredites que nem só de preto e branco se vestem os sonhos...

Wishing you still don't wanna go tomorrow... And all the "tomorrows" still to come till the end of existence...

7 comentários:

Nana disse...

Mais um surpreendente devaneio do sr Campas...tomorrow never comes!

A Outra! disse...

Depreendo desde devaneio que apesar de tudo é sempre bom saber que existem abraços nos cantos dos nossos ecrãs. Este blog peca apenas por uma coisa. Música. Era tudo bem melhor sem música. Bons Posts

Gravepisser disse...

"Nana":
Indeed...


"A Outra!":

Muito obrigado pela visita e pelo elogio. :)

Quanto à música, ela faz parte de mim, e como é algo indissociável da minha personalidade, não vou abandoná-la neste meu espacinho.
Tal como as imagens, elas (as músicas) servem para complementar a ideia que tento transmitir com as palavras, e se reparares, na maioria dos posts, são elas quem melhor os ajuda a entender. ;)

Um beijo

lontra (MR.) disse...

Adorei o texto, por mais estranho que pareça vi o meu reflexo em certas frases, em quase todas sobre ela…para dizer a verdade. :S Até tinha a mão no queixo como na imagem que escolheste, e tudo. he he
Sou é muito mais gira, earm…lol.

Não sei se é da tua imaginação ou se existe mesmo uma musa atrás deste texto, mas se há talvez ela merecesse poder lê-lo e saber que foi escrito para ela, por ela…eu pessoalmente teria gostado.

“E o único desejo que me resta…”
…este teu paragrafo, tem muito, muito que se lhe diga. ;) Gostei imenso.

Nana disse...

Tenho que concordar com a Lontra...mas não é so um paragrafo que tem muito que se lhe diga, todo o texto tem.

Espero que a pessoa para quem ele foi escrito valha a pena...espero mesmo!Espero que nunca nada te faça arrepender de o teres escrito.

Gravepisser disse...

Lotra...

Muito obrigado pelo elogio. :)

E sim, a pessoa para quem foi escrito, leu e sabe que é para ela, se gostou ou não... Só ela o pode dizer. ;)

Beijo

Nana disse...

É impossivel não gostar não é...além disso conhecer alguem que no lê tão bem mesmo sem nunca nso ter visto é completamente extraordinário!

Desculpa a primeira reacção mas custa ouvir certas coisas, acho que percebes o que quero dizer...

Acho que nunca te disse mas, OBRIGADO!