Richard Wright


Uma das maiores pérolas de sempre, uma das minhas 10 músicas favoritas de todos os tempos, em jeito de homenagem a todos os génios que vão partindo sem que quase ninguém queira saber neste país medíocre, e neste caso concreto refiro-me a Richard Wright, teclista, por vezes vocalista desta mesma banda, que recentemente desapareceu sem que disso quase nenhum órgão de comunicação social desse conta, pelo menos de uma forma efectiva que dignificasse a vida de tão influente personagem na cena musical dos últimos 30/40 anos...

Mais não se pode esperar, de um país que ainda discute os episódios das novelas, os pseudo-programas de "diga lá a verdade e destrua a sua família porque andou a fazer m3rd4 e nós agora descobrimos" e, porque não, ainda e sempre, os touros de morte, sim, porque esta gente ainda se preocupa com a "moral" ou a falta dela que está implícita no acto de sacrificar ou não o animal na arena, depois do tratamento de príncipe a que é sujeito durante todo aquele tempo em que o seu lombo é perfurado por ferros aos olhos satisfeitos de uma multidão que regozija com a "festa brava"... Afinal o problema é mesmo acabar-lhe com o sofrimento, isso sim é mau, isso sim deve ser proibido, faz uma diferença enorme depois do estado em que o animal é deixado, sangrando por todos os poros num sofrimento atroz que impressiona até os menos impressionáveis, como eu...
Poderá isto ser tolerado em países que se digam primeiro-mundistas...?

Mas isso também não interessa nada, é apenas um termo de comparação que nada tem a ver com a premissa deste post.
E como já me alarguei em demasia, fica apenas um sentido e sincero... Rest In Peace, Richard Wright.

3 comentários:

Sílvia disse...

Se morresse o Tony Carreira, ias ver se nao falavam... Até mostravam o funeral em directo, e faziam um programa em homenagem ao ex-electrecista, ou ex-trolha, ou sei lá ;)

Mas confesso, nao conhecia o senhor que mencionas.

Sílvia disse...

ps: devido ao sono, n consegui perceber à primeira, na segunda parte do teu texto, a tua opiniao sobre as touradas. Mas, apesar de estar triste e embriagada de sono, fico contente por saber q discordas de todo o conceito de tourada, desde o momento em que o colocam na arena como sentença de morte. E sim, concordo: a matança do animal na arena NAO deveria ser a verdadeira questao de moral do acto que é toda a palhaçada de infligir dor ao animal.
podemos discordar em termos de vegetarianismo, mas espero verdadeiramente que a minha interpretaçao um tanto demorada nao seja resultado de um engano provocado pelo meu estado psicologico (nada de grave, na verdade, mas este meu lado dramático é verdadeiramente... embriagante...)
e pronto, desculpa-me a tolice, a tontice, o discurso imenso e eu nunca mais me calo - caramba -,
um beijo

Maresia disse...

E se de repente, o touro pegasse nas bandarilhas e as aplicasse aos aficionados? E se a capa escarlate se enchesse de vida para defender a nobreza do animal? Gostava de ver....com os olhos da alma,,,,