Fados

(Emptyness, by Nightslastwish, deviantart.com)


Um coração, que bombeia o sangue através de movimentos contínuos e repetitivos de contracção e dilatação. No fundo, não somos mais que isto... Ou seremos?

Não.

We need to face the facts. Nada mais existe para além disso. Não existe deus, céu ou inferno, e a alma está extinta. Tudo o que somos se resume a uma curta e insignificante passagem de tempo, que na maioria dos casos mais não serve senão para sofrer. Sofrer, sofrer, sofrer.

"Além da minha triste sobrevivência, eu tento entender a razão da minha existência..."

Que não me peçam compaixão. No fundo, ela também não existe... Cada ser humano vive neste mundo somente para lutar pela sua própria sobrevivência. Para lutar, com todas as suas forças, contra aquilo para o qual nasceu, ou seja, para lutar contra a sua própria miséria, contra a própria infelicidade suprema que lhe está cravada no corpo desde o momento em que nasce. E o que acontece ao escravo que entra desarmado no coliseu romano, rodeado de feras famintas? ...
O Russell Crowe é um simples actor de cinema, se é que me entendem. Não existem "Gladiators" nos dias que correm.

"Quando eu me revoltar, quebrar, queimar, matar, não tenho nada a perder: Meu dia vai chegar. Será que vai chegar?"

Eu já não sinto, meus amigos... Nem amor, nem ódio, nem raiva, nem revolta... Só vazio. Um vazio tão grande, que ninguém poderá jamais encher, do que quer que seja. Lamento muito... Lamento muito.


1 comentário:

Joana disse...

Eu também espero sinceramente que ela siga o conselho.. mas acho que ainda se vai magoar mais uma vez, em jeito de despedida.
Quanto ao teu texto.. tens razão em muitas das coisas que escreveste, mas não deixes que o vazio seja o único sentimento em ti, é o pior deles todos. Beijinho :) *