To Weenie

Amizade. Pura, sincera, sem segundas intenções, verdadeira. Por vezes passamos uma vida inteira a lidar com certas e determinadas pessoas, que temos na mais alta consideração e estima, pelas quais fazemos tudo e mais alguma coisa. "Os nossos melhores amigos"! Pensamos nós... Enquanto servimos de taxistas, confidentes, enquanto somos palhaços, é tudo uma maravilha. Pior é quando acordamos para a realidade... Quando, à primeira oportunidade, esses tais "amigos" nos enterram o gume afiado da faca da sua falsidade, directo no coração.
Muito mais haveria a dizer... Mas não neste post.
Voltando ao inicio, descobri recentemente que afinal não precisamos conhecer pessoas durante mt tempo para que as possamos considerar amigas. Para a minha nova conquista neste delicado campo, fica um obrigado por tudo, por tudo o que és e não és, pela sinceridade e profundidade ds tuas palavras, por me teres arrancado um sorriso sentido no momento em que me fizeste perceber isto mesmo. A ti minha amiga, minha mana, te dedico esta letra de uma grande canção, na falta de inspiração para escrever algo por mim próprio... Um grande beijo.


"I never thought that tonight could ever be
This close to me
Just try to see in the dark
Just try to make it work
To feel the fear before you're here
I make the shapes come much too close
I pull my eyes out
Hold my breath
And wait until i shake

But if i had your faith
Then i could make it safe and clean
If only i was sure
That my head on the door was a dream

I've waited hours for this
I've made myself so sick
I wish i'd stayed asleep today
I never thought that this day would end
I never thought that tonight could ever be
This close to me

But if i had your face
I could make it safe and clean
If only i was sure
That my head on the door
Was a dream
"

(Robert Smith)

1 comentário:

Julieta disse...

As cinderelas de Holliwood hão-de ser sempre comparáveis às velhas carcomas que povoaram a minha inquieta juventude. Inevitavelmente, como apagões hão-de perder seu pseudobrilho, afundando as suas pretensões de duvidosos reinados. Seremos sempre a plebe, no sentir complicadamente simples, como visionários de um apocalipse provável....

Seremos poetas do infurtunio, calcorreando as vielas da sensibilidade, por vezes arredada do bom senso.
Seremos nós, nesta plenitude fictícia a que chamos afectos.
Que seja serena a noite, carregada de luz...ainda que só tu a vejas.


Beijos meus

Julieta Lino