O Acordo Ortográfico


Não fosse este ser (ainda) um blog respeitável, e este post começaria com um sonoro e estridente "ah fod*-**! Car****! P*** que p****!

E tanta ira porquê, perguntam vocês meus amigos? E eu respondo com duas palavras: Acordo Ortográfico. E reparem que escrevi isto em maiúsculas, para realçar a gravidade do problema. E o que significam essas duas belíssimas palavras, por essa ordem escritas e descritas, oh dignísssimo praticante (e aprendiz) da arte da escrita? - perguntam os mais desinformados. Ao que eu respondo tristemente: uma tragédia, meus amigos. Uma tragédia.

Crêem os grandes "sabões" das línguas, que este famigerado Acordo é "a única forma de salvar a língua portuguesa". Que os portugueses, na sua grande maioria, precisam ser salvos, à muito que é sabido. Agora, a língua? A nossa querida língua materna? Por favor! Que me poupem.

Nunca fui grande patriota, sinceramente... Mas se existe coisa que me apraz neste meu país, é a sua língua, complexa, rica e densa como poucas. E se existe coisa que desprezo, é quem me venha com histórias do género "sim, temos de nos adaptar à realidade crescente da aproximação da forma de escrever as palavras, à forma como elas se pronunciam!"... O quê? O QUÊ???
Pelo amor do pai, da mãe e da família toda... Não sejam ridículos.

Eu sou um leigo, é certo. Mas que não me tomem por parvo! Parte do fascínio da nossa língua advém daí mesmo: da sua complexidade. O aprender a escrever, com correcção, o português, é dos grandes desafios a que qualquer pessoa se pode propor! E agora querem convencer-me que temos de passar a escrever "sutil", "amídala", "onipotente" ou "dição" só porque é mais fácil??? Mais fácil para quem? De onde surgiu tamanha idiotice? Que mente apodrecida poderia supor tal insulto? Sim, porque é um insulto, a meu ver. Podem ver aqui, se não acreditam! Eu também não acreditava...

E não, não concordo contigo, "menina do blog". É bem verdade que antigamente ninguém suporia escrever "farmácia" em vez de "pharmacia", por exemplo... Mas isso foi parte da evolução linguística. A supressão do "ph" é perfeitamente admissível, natural até.
Agora o que se verifica nesta nova "evolução" (eu chamo-lhe assassinato) não é nada disso... Trata-se de "abrasileirar", simplificar da forma mais degradante, um tesouro bem nosso! Ninguém tinha o direito de o fazer... Ninguém.

"Você me tira do sério, seu babaca! Não tira mais sarro da minha cara não! Senão, vou ficar de mal com você!"
"Ô cara, vamo ali no açougue prá mor dji comprá carne? Loguinho vai tê um jogão e têmo dji tá préparado pra dá a maió torcida pro nosso tjimi!"

Sejamos coerentes, claros e concisos! É nisto que nos querem transformar? Sim, porque por este andar não tarda muito a serem incorporadas estas pérolas nos nossos dicionários!

E muito mais poderia dizer, mas já me estiquei demasiado, até. Em suma, fica a promessa, aqui imortalizada: no dia em que tais baboseiras forem obrigatórias, daqui a seis anos, eu, NHLB, recusar-me-ei terminantemente a escrever uma palavra, sequer, em português, à excepção daquelas estritamente necessárias em situações pontuais.

Fim.


9 comentários:

jinx disse...

é absolutamente incrivel!!! como se atrevem a mudar uma lingua que o proprio d.dinis protegeu e tanto acarinhou? andou ele a lutar para mudar os documentos oficiais pra galaico-portugues em vez de latim para que? para fazerem da nossa lingua esta piada? pois bem podem guardar as vossas revisoes linguisticas para idiotas q n tem amor a uma tao bela parte da patria! antes ser arcaica e antiquada que assassinar a lingua desta maneira!

Joana disse...

Também não sou lá grande patriota nem coisa do género e enervo-me bastante com muitas pessoas porque escrevem tudo abreviadamente (é certo que também o faça para poupar tempo) e tento nos máximos dos máximos escrever correctamente com o português que sempre me ensinaram. e mudar agora porquê? Os políticos fartaram-se de dar erros foi? Sinceramente não percebo o motivo da mudança! estiveram anos para publicar dicionários em tamanho "extra xxl", como a minha professora de português diz, para agora deitarem tudo no lixo? O dinheiro, o papel e a tinta gastos nas publicações de livros em português até agora somam-se em milhões e todos os dias somam-se mais uns quantos e foram estes milhões de euros que fizeram com que os portugueses aprendessem a falar e escrever português correctamente (mesmo sabendo que isso é raro na comunidade jovem) e agora querem "abrasucá-los"! Só tenho vontade de enviar uma cartinha com o seguinte texto: "Meus queridos políticos, querem brasileiros vão ao Brasil, não transformem os portugueses por favor, o país agradece."
Mas afinal quantos políticos que chumbaram na disciplina de português foram precisos para se lembrarem duma ideia tão ridícula? Eu não sei...Só sei que me vou recusar a escrever à brasileira ao fim de tantos anos a aprender a escrever e falar português! Mudança NUNCA!

Against disse...

Epa, a menina do blog só tem a dizer que também acha isto muito mal. Nem considero que seja evolução. E acho que é mais por preguiça do que outra coisa qualquer que se faça isto. Anyway, já debatemos este assunto!:P

Joana disse...

Pensava que a menina do blog era eu lolol. Como te disse antes, é uma questão de adaptação.. nós estamos habituados a escrever assim, tal como ha 50 anos eles escreviam de outras formas, o pharmacia foi so um exemplo que me surgiu na altura. Na parte do abrasileirar acho que exageraste um bocado, a situação não é assim tão extremista. Concordo que há palavras que é um exagero a forma como as pretendem mudar, mas há outras que não.. E pronto, cá está o comentario tal como prometido lol.

Gravepisser disse...

Uma vez mais não concordo, Joana (e sim, és tu a menina do blog, ali a madame against é que pensou ser ela) ;)

Ainda no exemplo "pharmacia": tu lês da mesma forma, com "ph" ou com "f", ou não é verdade? Agora o que acontece é a adulteração de palavras! A própria fonia das palavras é grosseiramente alterada! Ora experimenta, ler em voz alta, os exemplos que dei no post, por exemplo... "sutil", "amídala", "onipotente" ou "dição" são só alguns dos exemplos inadmissíveis!

Suponho que qualquer dia, também o "h" seja suprimido, só por ser mudo... "orrível" ou "ospital", só porque é mais fácil? Não me espantaria nadinha...

Não sei onde é que este país vai parar, com tamanhas ofensas à inteligência das pessoas... Há muito que perdi as esperanças de ver isto mudar.

Pólvora disse...

Bem depois dos brasileiros terem andado a discutir que língua é que realmente falavam segundo artigos para aí de 2005 que ainda não passaram do prazo e são fiáveis de ler, macacos me mordam que agora nos querem por a falar a língua lá dos tupis, só falta mesmo vir um artigo nesse acordo que divida os vários sotaques pelas várias regiões portuguesas, pôr o pessoal do interior toda a falar gaúcho, o que havia de ser bonito: "Cuê-pucha! Teve um dia mui jururu..”, pôr todo o pessoal do sul com aquele sotaque sulista, e já agora o pessoal do centro tudo de volta à escola para aprender o sotaque carioca, pior é pôr os gajos da Buraca a falar assim….será que o crioulo também têm adequação a este acordo?
Já para não falar no que muda no Brasil….basicamente a acentuação das palavras…o que muda em Portugal? Raios…mudar é uma coisa,agora metamorfosear é outra, há que distinguir os termos aí na introdução dessa espécie de acordo [(des)acordado!]
Vai ser ver o pessoal a falar português normalmente “então, como é que vai isso meu velho? não queres ir ali tomar um café e pôr a conversa em dia?” e quando o primeiro ministro passa tudo a abrasileirar: “Ah cara, tem passado bem? Vamo ali bater um papo?”.
Um bocadinho picolho digamos! Pago para ver o primeiro ministro discursar no dia em que isso já for obrigatório! E pago para ver os Da weasel ao vivo com as letras já adequadas a isto…não sei se ria se chore!
Coisa boa: os professores já não poderão dizer “atenção ao copy/paste de expressões de sites brasileiros para os vossos trabalhos”, nesse caso uma pessoa corrige logo “me desculpa, mai ocê djise mal, seguramente queria djiser “faiz favo de ir a todo o site de nossa língua buscar informação qui só enriquece seus trabalho””.
Bem, mas o carnaval de facto já possui samba, aquela tradição portuguesa…o samba! , como diz o outro, quando for ao Brasil vou ouvir o fadinho: “porque em Roma, sê romano!”…uma pessoa não tem nada contra os brasileiros, até porque morar numa zona onde existem tantos tem muito que se lhe diga, mas vamos lá ver “sintam-se em casa” mas não literalmente! Daqui a pouco para a transformação ser mesmo completa vou por uns dentes como o ronaldinho e aí parecerá que estou mesmo dentro do brasileiro, percebo mesmo daquilo….embora esteja a usar uma data de palavras que não me dizem nada e que soam como se uma pessoa estivesse com uma brutal cag….! Convenhamos!
E pergunto eu…quem é que deixou o Álvares Cabral ir descobrir o Brasil?…chama-lhe engano de navegação!...”Ah ia jurar que aquilo tinha mesmo cara de índia, tinha índios e tudo!!!!”….
Criar uma ortografia universal para o Português?....para o Brasileiro queriam eles dizer, há quem questione onde é que o governo tinha a cabeça para aceitar algo parecido com isto.
E depois como ficará a designação dos PALOP? Das duas uma, “Países africanos de língua oficial mais ou menos portuguesa” ou “Países africanos de língua….língua? que é isso?!”….ambas culminam com a mudança do nome!...
E que vamos nós chamar a isto no futuro…”Colónia brasileira”?! Então mas andamos a inverter a História ou quê?...
Sócrates, Sócrates? “porreiro pah”….palhaçada tão grande, é tão difícil agora uma adaptação do português para o brasileiro como do brasileiro para o português, qual foi o critério de escolha?...a dimensão da população brasileira? Parece-me um critério um bocado rebuscado vá! Afinal a língua faz parte da identidade de uma nação e, algo como isto é estar a obrigar as pessoas a falar uma língua e a esquecer a sua…e como é que se chama a isso…ah pera lá…é aquela coisa do “Big melting Pot” que uma pessoa ouviu no 11º ano, i.e., considerar que aquela cultura é que recebe as outras todas por ser a mais poderosa…resumindo, é estar a descriminar.
Até porque dizem os direitos humanos (aqueles direito que ficam muito bonitos em papel timbrado!) que, “A vontade do povo é o fundamento da autoridade dos poderes públicos: e deve exprimir-se através de eleições honestas a realizar periodicamente por sufrágio universal e igual, com voto secreto ou segundo processo equivalente que salvaguarde a liberdade de voto. (Art. 21º)” – Alguém já ponderou a decisão do “povo”?

Que raio de mundo este!

Beijos

Joana disse...

só respondo agr pk tive em freixo :) usando os teus exemplos, no caso de "sutil", "amídala", "onipotente" ou "dição" concordo ctg, muda a fonia. Mas nos outros exemplos "ospital" e "orrivel" não muda, porque é que não se pode mudar nesses casos?

Gravepisser disse...

Mas não é apenas nesses quatro exemplos que muda a fonia! Dá uma vista de olhos na lista da wikipedia, verás ao que me refiro. E eu não disse que "ospital" e "orrivel" tinham mudado, atenção! Estava apenas a ser sarcástico, mas pelo rumo que as coisas estão a tomar, já nada me espanta!

Uma vez mais discordo, isto não é evolução, estão a assassinar a língua. Não percebo como é possível existirem pessoas que se recusam a ver isto...

Joana disse...

nao me recuso a ver isso, é como te disse.. em certas situações discordo, noutras nao acho k seja assim tao absurdo, so isso..