Um Recadinho



Triste condição, a de alguns seres humanos. Continua a entristecer-me, a volatilidade de alguns espíritos, frágeis, prontos a explodir a qualquer instante, dissipando-se com a mesma facilidade com que foram concebidos, no início.

Prontos a embrenharem-se, com vontade, nas lutas infundadas, a roçar o ridículo, para as quais se julgam mobilizados por uma força (hierárquica?) teoricamente superior, mas que na prática, e aos olhos da lucidez, se resume a NADA.

Convictos da sua pseudo-capacidade em transformar água em vinho, que é como quem diz, de extrair dos NADAS uma soma de virtudes divinas capazes de guiá-los pelos caminhos que julgam ser os seus predestinados, estes bloggers desesperam, hoje e sempre, por um minuto da atenção dos seus heróis, pois só assim conseguem alcançar uma espécie de paz interior que é suficiente para acalmar a fúria da solidão que os consome por dentro.

Quando a fraqueza nos impede de discernir correctamente a realidade da ficção, quando a única fonte de positivismo se situa algures online atrás do ecrã de um computador... Pouco ou nada há a fazer.
Consciencializarmo-nos do problema, é o primeiro passo para a sua resolução.

Não sou médico, psicólogo ou psiquiatra. Não sou perfeito, aliás, sou muitíssimo imperfeito. No fundo, sou um tipo comum, extremamente céptico e terra-a-terra, que vê na blogosfera mais um meio de se expressar, um escape por vezes, mas não mais que isso. A minha vida/felicidade não dependem disto, nem pouco mais ou menos. Não preciso de um blog para ter amigos/ser feliz. Não bajulo quem quer que seja, pois ninguém é superior a mim. Nem inferior... Não sou um monstro de sete cabeças, sou aliás, um indivíduo extremamente acessível, não obstante a tremenda complexidade da minha personalidade.

Exijo respeito para com a minha pessoa, da mesma forma que eu também respeito toda a gente. Que ninguém tente banalizar-me, estupidificar-me ou personificar em mim outrem, seja ele/ela quem for. Não gosto, não quero nem permito.

Fica feito o aviso. Quem tiver alguma coisa a dizer, quem deseje contactar comigo além deste espaço, tem um endereço de e-mail público acessível no meu perfil.

E é tudo, por enquanto.

Desculpem lá qualquer coisa, mas tinha mesmo de dar este recado.

3 comentários:

MA-S disse...

Confirmo e reforço o que o "Campas" escreveu...

lontra=) disse...

"Exijo respeito para com a minha pessoa, da mesma forma que eu também respeito toda a gente. Que ninguém tente banalizar-me, estupidificar-me ou personificar em mim outrem, seja ele/ela quem for. Não gosto, não quero nem permito."

Ora... nem mais! tá tudo dito..=)

Nana disse...

Ohhh gosto...estava tão concentrada a ler o que o sr Campas escreveu e estava a gostar tanto que até esqueci da água que tinha ao lume =S

O sr Campas devia ter vergonha de escrever coisas tão bonitas que distraiem as pessoas!!

Antes de ler os post's penso sempre vou ler e fazer um comentario super bonito e inspirador, mas depois acabo de ler e fico sem nada para dizer...A ver se o sr campas escreve uma coisa que a Naninha consiga comentar...