Unholy Smoke


(Burned Here)


Ambas as mão ardiam, emuladas por chamas invisíveis que estranhamente não faziam moça alguma, já não sentia dor nem o cheiro hediondo da pele queimada ou sequer ouvia os gritos desesperados, do outro lado do vidro, daqueles que tentavam em vão fazer-lhe chegar a água... Tentava aperceber-se da magnitude do seu desespero, olhando-os com ternura, mas a visão já era insuficiente. Turvava-se e desvanecia-se lentamente, afinal o fumo era tanto que rapidamente escureceu as janelas bloqueando o ultimo campo de visão que o ligava ao mundo.

Pareceram eternos, aqueles instantes finais de uma suposta agonia que era incapaz de sentir, de tão habituado que estava ao quotidiano sofrimento que sempre pautou a sua vida...

Pensava apenas, naquilo que não havia sido, durante a sua inglória passagem pela terrena existência. Em todos os porquês que ficaram por esclarecer, em todas as respostas que jamais foram dadas às perguntas que nunca fez... E chegada a hora de ver satisfeita uma das maiores, foi com alegria que partiu rumo à descoberta daquilo que existe ou não para além do horizonte, ultrapassada a fronteira terrena que sempre limitou e impediu a concretização dos seus maiores sonhos.

Era, finalmente, livre...

(Foi só um pesadelo, rapaz... Já passou.)

... Porque é que não estou aliviado?



2 comentários:

Utopia disse...

''Pensava apenas, naquilo que não havia sido, durante a sua inglória passagem pela terrena existência. ''

Penso tantas vezes nisso. Só espero que exista alguma coisa 'para além da vida', pq se só tiver esta até agora foi um desperdício.
(pequeno desabafo)

Gosto da maneira como escreves.
Felicidades,
Utopia.

RESSACA ® disse...

Pedindo antecipadas desculpas pela “invasão” e alguma usurpação de espaço, gostaríamos de deixar o convite para uma visita a este Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...