Buried Souls...

(Insanity, by liquidkid1, deviantart.com)



"Pareces louco, sabes? Pareces mesmo, as atitudes que tens não parecem tuas. Como explicas isso?"

Têm razão. Mas, ao contrário do que seria previsível, eu não tenho uma justificação válida para uma questão desta natureza. Ainda que haja "na loucura um prazer que só os loucos conhecem", não significa que não se esteja, pelo simples facto de desconhecer esse dito "prazer".

Dou por mim vagueante, demasiado cansado para contornar os mais básicos obstáculos que surgem na vida, por mais ridículos que pareçam. Sorrio, pois claro, afinal é isso que esperam de mim. É essa a única forma possível de se estar, afinal, a minha vida é perfeita, por que motivos estaria descontente? (Mal eles sabem, meus amigos... Mal eles sabem.)

E depois é isto, tudo o que me resta. Repetir-me vezes sem conta, gastar palavras, enterrar emoções o mais fundo que consiga. Sei apenas, que já não sinto. Já nem sequer me recordo de quem fui em tempos... Gradualmente, tudo vai deixando de fazer sentido. As acções, as palavras... Até a escrita, e este blog...

Estarei vivo? ...

"Correct me if I'm wrong, but hasn't the fine line between sanity and madness gotten finer?" (George Price) ...

3 comentários:

fresquinha disse...

Conhecem A MULHER DO PRÓXIMO ? Claro que não. Um convite aberto a tutti quanti (isto é divulgação, não é publicidade)

www.afresquinha.blogspot.com

Maresia disse...

Loucura é um dos lados lúcidos da normalidade... e já agora... quem foi que estabeleceu os padrões? Onde reside a fronteira?

fresquinha disse...

O conceito de normalidade não existe. É muito subjectivo. A loucura é simplesmente a constatação do facto. :-)